segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Amanhã vai ser um bom dia!

Entre os percalços do dia-a-dia e aquelas crises "porquê eu?!" é fácil esquecer-nos que há a VIDA a acontecer.
Ao que parece as crianças não esquecem.
Sim, é uma constatação do óbvio, há possivelmente 1000 expressões populares sobre o assunto e mais algumas opiniões certificadas... mas é sempre surpreendente (e às vezes irritante) ver o meu filho a desviar-se das questões pertinentes do momento, como "tens que comer a sopa toda" ou "não podes brincar no teu quarto porque houve uma inundação", e a concentrar-se no que realmente interessa: no que lhe interessa na solução.
As crianças vão-nos dando umas chapadas na cara para aprendermos a viver a vida, disfarçadas de gracinhas para contar à família, e fazem-nos a nós, adultos, que já passámos por aquilo e que já sabemos mais da vida do que eles, pôr as coisas em perspectiva.
Mas a verdade é que chegamos a adultos esquecendo umas coisas pelo caminho.

Por isso calo-me e sorrio, quando o meu filho, depois de fazer os planos para o dia seguinte, respira fundo e diz: "Amanhã vai ser um bom dia!"

Planos para o dia seguinte:
- Vou para a escola.
- Depois da escola vou ao parque com a trotinete e a bola.
- Antes de ir para casa passo na loja e compramos a nave do Star Wars.

-





sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Tanananana nanananana nanananana

Batman!
Coisas que as mães fazem para compensar o facto de se terem esquecido que a cria precisa de bata na escola...

A adiar pensar como raio vou fazer a do Iron Man...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Matchy matchy!

Acontece, não é consciente, e gostava de pensar que é uma coincidência bonita.
Mas de vez em quando saímos de casa a fazer pendant. Coordenadinhos ao detalhe do conjunto.
E oiço coisas do género "olha a mãe traz umas calças iguais à tuas". Esta é a ordem.

Juro que acontece com outras cores.




















"Mãe, olha aqueles pindéricos vestidos de igual!"

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Arrumações II

Parece-me que este é um tema que vamos abordar várias vezes ao longo da nossa relação...
Os nossos conceitos de arrumação são duas linhas que parecem, neste momento, não se querer cruzar. E quando o debate termina em concordância, discordamos no sujeito que deve proceder à acção.

Trabalho em linha recta com variações de material e cor s/ taco de madeira.




quinta-feira, 9 de julho de 2015

Fotografar

Nos últimos tempos fotografá-lo revelou-se uma tarefa difícil, não é que ele não goste, mas há vários factores que o impedem de me ajudar na tarefa:
1º ele não se está a ver, fotografia só tem interesse em modo selfie
2º ficar quieto a sorrir ou apenas ficar quieto simplesmente não tem interesse de todo
3º a mãe é chata
4º o que está a fazer na altura é muito mais importante
5º não tem interesse
Olha o passarinho!

 
Vamos tirar uma foto para mostrar o disfarce de carnaval à avó?